sábado, 25 de outubro de 2014

Crochet Afghan

Depois de várias tentativas, consegui!
Era para ser uma colcha mas, com um pequeno erro de cálculo, virou um cobre-pés!
Não é meu primeiro trabalho mas, com certeza, um dos meus preferidos, achei lindo!

Material utilizado:
  • Barbante 4 Supremo Predileto Cores branco, amarelo e cinza
  • Agulha para crochê 4,0mm



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Resenha literária - Eu Vejo Kate by Claudia Lemes




Pela primeira vez tive a experiência de ser uma leitora beta.... embora ainda não entenda exatamente o que significa, gostei da experiência. .... ter contato com um livro antes de qualquer um é algo a ser incluso na lista das 1000 coisas a se fazer antes de morrer....

Bem... talvez nem todos saibam mas não sou fã de autores brasileiros (salvo alguns escritores espíritas e o incrível André Vianco), portanto, entenda-se este feedback como de alguém que foi basicamente 99% sempre leitora de autores estrangeiros.

Entenda-se também que faço o tipo que não envelhece, gosto muito de leituras leves.... e sim, adoro livros infanto-juvenis e best-sellers.... (interrompi a leitura de Insurgente e adiei Percy Jackson para esta experiência).

Então se apresenta a mim a oportunidade de ser a leitora beta de Eu Vejo Kate, da Claudia Lemes.... brasileiríssima embora escreva em inglês. .... e lá fui, ler algo que, desde o começo, ficou claro não fazer parte dos meus padrões. ...

O resultado? Adorei! Terminei a leitura em três etapas... muito rápido, julgo....

Foi uma leitura densa, difícil e que mexeu com minhas emoções (sim, tive pesadelos com Nathan Bardel)... em alguns momentos pensei "pq estou lendo isso, justo eu, que não vejo nem jornal pra não ver desgraça? "... e é neste momento que a qualidade do suspense me fez voltar à leitura, me fez imaginar opções, vivenciar a dor de Kate e Ryan, a mudança comportamental pós morte de Nathan e nunca entender o que faz com que o assassino seja quem é.  Com certeza a máxima de que "o assassino é sempre o mordomo" não se aplica aqui....

Consegui em muitos momentos identificar a pesquisa e a dedicação de Claudia para que não ficassem arestas e para que nada fosse óbvio. ... aliás, para mim, Kate é o alter ego de Claudia.

Desconfiei de vários personagens mas nunca do mais perigoso de todos... jamais imaginei....

Como disse, não é fácil ler Eu Vejo Kate... ele é explícito, mortal, sádico, sórdido.... mas acima de tudo, envolvente, te faz não querer parar...